Não é o que podemos fazer, mas o que precisamos

Jesus, no evangelho de João, no capítulo dezoito, versículos dez e onze nos ensina sobre o que temos que fazer segundo a vontade do Pai e não sobre o poder que temos ou escolhas que podemos fazer para nos defender.

“Então Simão Pedro puxou da espada que trazia e feriu o servo do sumo sacerdote, cortando-lhe a orelha direita. E o nome do servo era Malco. Mas Jesus disse a Pedro: — Guarde a espada na bainha! Por acaso não beberei o cálice que o Pai me deu?” (João 18.10–11 NAA)

Não se trata de poder, muito menos de poder se livrar da situação, mas de compreendermos o que temos que fazer, frente ao que seja a vontade do Pai. Não somos chamados para nos preservar, mas para compreendermos o nosso papel e nos submetermos ao chamado que temos e a obra que temos que realizar.