O que semeamos, colhemos!

O que semeamos, colhemos

foto por:  Charles G em Unsplash

Não adianta pensarmos que ao plantarmos abacaxis, iremos colher morangos ou laranjas, pois este não é o curso natural das coisas, por isso, se o que semeamos entre as pessoas são atitudes segundo o pensamento natural, se andamos pela natureza humana, não iremos colher nada diferente do que aspectos referentes a corrupção humana, mas, se andamos pelo Espírito e semeamos o Seu fruto, expressando Deus ao mundo, iremos colher frutos que conduzem as pessoas ao conhecimento de Deus.

Paulo escrevendo aos Gálatas, no capítulo seis, do versículo sete ao dez, fala sobre esta questão: “Não vos enganeis: de Deus não se zomba; pois aquilo que o homem semear, isso também ceifará. Porque o que semeia para a sua própria carne da carne colherá corrupção; mas o que semeia para o Espírito do Espírito colherá vida eterna. E não nos cansemos de fazer o bem, porque a seu tempo ceifaremos, se não desfalecermos. Por isso, enquanto tivermos oportunidade, façamos o bem a todos, mas principalmente aos da família da fé.” (Gálatas 6.7–10, BEARA).

Fazer o bem, revelar o fruto do Espírito às pessoas, manifestarmos a graça de Deus, o Seu amor a todos, expressarmos e revelarmos Cristo em nossas ações com paciência, longanimidade, perseverança, domínio próprio, amor, graça, misericórdia e compaixão, certamente, revelaremos a nossa origem, quem somos, expressaremos o nosso Deus e conduziremos as pessoas ao conhecimento de Sua vontade e assim, terão a oportunidade de se submeterem ao Pai, recebendo da Sua vida eterna.