Não se trata do trabalho realizado

Não se trata do trabalho realizado

foto por: Ioannis Ioannidis em Pixabay

Na carta de Paulo aos Romanos, capítulo quatro, versículos quatro e cinco, lemos:

“O salário que o trabalhador recebe não é um presente, mas é o pagamento a que ele tem direito por causa do trabalho que fez. Porém a pessoa que não põe a sua esperança nas coisas que faz, mas simplesmente crê em Deus, é a fé dessa pessoa que faz com que ela seja aceita por Deus, o Deus que trata o culpado como se ele fosse inocente.” (Romanos 4.4–5, NTLHE).

Há em nós uma necessidade de compreendermos na prática o significado de crer, pois o ato de crermos em Deus e nas Suas promessas é que nos salvam e que nos permitem viver na Sua presença. Mas, quando há em nós qualquer esperança ou expectativa que Ele irá nos abençoar e nos dar o que achamos que merecemos porque fizemos o que é bom, não é fé, é religiosidade e isso não O agrada.

Somos aceitos por Deus não pelas boas obras e o bem que procuramos fazer, mas porque cremos que Ele nos aceita e nos justifica por causa do que Cristo fez em nosso favor para nos salvar.