O pão e o vinho

Precisamos de uma transformação de entendimento, compreender a importância da ceia, para não espiritualizarmos o que é material e esquecermos do que é importante, pois se esquecemos, vivemos como religiosos e não como filhos de Deus, membros do Seu reino, parte da Sua família, povo que foi comprado por um preço muito alto.

Jesus, na ceia, no evangelho de Marcos, no capítulo quatorze, do versículo vinte e dois ao vinte e quatro afirma: ” Enquanto estavam comendo, Jesus pegou o pão e deu graças a Deus. Depois partiu o pão e o deu aos discípulos, dizendo: — Peguem; isto é o meu corpo.  Em seguida, pegou o cálice de vinho e agradeceu a Deus. Depois passou o cálice aos discípulos, e todos beberam do vinho.  Então Jesus disse: — Isto é o meu sangue, que é derramado em favor de muitos, o sangue que garante a aliança feita por Deus com o seu povo.” (Marcos 14:22-24, NTLHE).

Precisamos entender que este sacramento instituído por Cristo é para nos lembrar do que e porque Ele fez por nós. No sangue derramado, temos a remissão do pecado, a nova aliança, pois é através do sangue que temos acesso à presença de Deus e é este que nos apresenta santos, inculpáveis e irrepreensíveis, isto não depende do que possamos fazer, é a obra de Cristo em nosso favor para nos comprar para Deus. É através da Sua morte na cruz que alcançamos a libertação e é por meio da nossa cruz que carregamos que podemos revelar a obra de Deus em nosso favor.

E o pão é para não esquecermos que nos alimentamos do mesmo corpo, fazemos parte uns dos outros, recebemos da mesma vida, e somente podemos revela-la, se em Cristo permanecemos, lembrando sempre, que somos membros da mesma família, fazemos parte do Corpo de Cristo, a Igreja, e que por meio desta, que o propósito do Pai se cumpre neste mundo e que é através desta que o mundo pode revelar o Cristo, revelar as Suas virtudes e conduzir todos ao conhecimento da Sua vontade.

No sangue para não esquecermos da nova aliança e no pão para não esquecermos de quem somos, de onde provêm a vida,  da nova realidade que fomos inseridos, para que o reino de Deus se revele neste mundo!