A segunda morte e o julgamento

foto por: Nathan Peterson em Unsplash

Não se trata do que podemos fazer para evitar, mas do entendimento iluminado e compreendermos a obra de Cristo em nosso favor, para que nos submetendo a Ele, possamos viver segundo a vontade do Pai, fazendo obras de justiça para que possamos ser livrados da segunda morte, a morte em que haverá a separação eterna da presença de Deus, onde o diabo e seus anjos serão lançados juntamente com todos que não se sujeitaram a Cristo como Senhor e Salvador e nem andaram segundo a justiça de Deus.

Temos em Apocalipse, falando que os que tem parte na primeira ressurreição, a segunda morte não tem autoridade, como podemos ler no capítulo vinte, versículo seis: “Bem-aventurado e santo é aquele que tem parte na primeira ressurreição; sobre esses a segunda morte não tem autoridade; pelo contrário, serão sacerdotes de Deus e de Cristo e reinarão com ele os mil anos.” (Apocalipse 20.6, BEARA).

E depois no versículo onze e doze, todos comparecerão diante do trono de Deus, para que sejam julgados segundo as suas obras: “Vi um grande trono branco e aquele que nele se assenta, de cuja presença fugiram a terra e o céu, e não se achou lugar para eles. Vi também os mortos, os grandes e os pequenos, postos em pé diante do trono. Então, se abriram livros. Ainda outro livro, o Livro da Vida, foi aberto. E os mortos foram julgados, segundo as suas obras, conforme o que se achava escrito nos livros.” (Apocalipse 20.11–12, BEARA).

Necessitamos compreender que as obras não nos salvam, mas elas revelam o fundamento de nossa vida, no que cremos, na motivação pela qual fazemos as coisas e qual a razão que demos ao nosso viver. Temos que entender que a salvação vem de Deus, por meio de Cristo e Sua obra na cruz. Que Ele nos comprou para Deus, para sermos Seus sacerdotes. Devemos, com este entendimento nos submetermos a Ele, como Senhor e Salvador, vivendo segundo o Seu modelo, fazendo de nossas vidas a oferta em favor das pessoas, para que possam conhecer o Pai.

Fazemos obras, não para que sejamos salvos, mas por termos sido salvos por Cristo, por nos submetermos a Ele, então realizamos as obras de justiça que O revelam ao mundo, para que o Pai seja conhecido. Devemos viver neste mundo como Cristo, revelando o Pai e praticando as Suas obras, não para alcançarmos algo Dele, mas para que as pessoas possam conhecê-Lo.

Anúncios