A condenação do ser humano

Quando pensamos que sobre vida e morte eterna, talvez não tenhamos o entendimento completo do processo. A vida eterna é decorrente da graça de Deus e a nossa submissão à Sua vontade no sentido de buscarmos o Seu conhecimento e do Senhor Jesus e a nossa condenação é decorrente de rejeitarmos as Suas palavras, como podemos ler no evangelho de João.

A condenação é esta: a luz veio ao mundo, mas os homens amaram mais as trevas do que a luz, porque as suas obras eram más. Pois todo aquele que pratica o mal detesta a luz e não se aproxima da luz, para que as suas obras não sejam reprovadas. Quem pratica a verdade se aproxima da luz, para que as suas obras sejam manifestas, porque são feitas em Deus.” (João 3.19–21 NAA)

Quando permanecemos no pecado e rejeitamos a reconciliação de Deus, pela graça, não nos submetendo à Cristo como Senhor e Salvador, não caminharemos para a luz, não santificaremos o nosso proceder, mas permaneceremos na prática do pecado, revelando assim a falta de compromisso com o Pai e a nossa condenação. Agora, se buscamos o conhecimento, se rejeitamos as obras das trevas, se santificamos o nosso proceder para revelarmos a obra que Ele realizou em nosso favor, então, a vida eterna com o Criador é assegurada por causa das Suas promessas.