Não é nome e nem ritual

“E alguns judeus, exorcistas ambulantes, tentaram invocar o nome do Senhor Jesus sobre possessos de espíritos malignos, dizendo: Esconjuro-vos por Jesus, a quem Paulo prega. Os que faziam isto eram sete filhos de um judeu chamado Ceva, sumo sacerdote. Mas o espírito maligno lhes respondeu: Conheço a Jesus e sei quem é Paulo; mas vós, quem sois? E o possesso do espírito maligno saltou sobre eles, subjugando a todos, e, de tal modo prevaleceu contra eles, que, desnudos e feridos, fugiram daquela casa.” (Atos dos Apóstolos 19.13–16 RA)

Estamos equivocados quando pensamos que o reino de Deus se trata de proferir nomes e exercer rituais, pois não é isso e temos o exemplo de judeus que resolveram expulsar demônios em nome de Jesus e Paulo e foram subjugados por eles.

Viver o reino, ter a autoridade para expulsar demônios e trazer cura se trata do poder que o Senhor nos concede para usar em favor das pessoas e estão vinculados ao conhecimento e intimidade com o nosso Deus e Pai, não outra coisa.