Um ato de nobreza

“E logo, durante a noite, os irmãos enviaram Paulo e Silas para Bereia; ali chegados, dirigiram-se à sinagoga dos judeus. Ora, estes de Bereia eram mais nobres que os de Tessalônica; pois receberam a palavra com toda a avidez, examinando as Escrituras todos os dias para ver se as coisas eram, de fato, assim. Com isso, muitos deles creram, mulheres gregas de alta posição e não poucos homens.” (Atos dos Apóstolos 17.10–12 RA)

Somos nobres e demonstramos o nosso interesse em assegurar que estamos andando na vontade de Deus, quando ao ouvirmos algo que seja novo, nos detemos, não só para ouvir, mas para julgarmos à luz das Escrituras e assim, confirmarmos ou rejeitarmos um ensino que nos é trazido.

É importante entendermos este processo. Não podemos beber tudo que nos é oferecido, mas precisamos antes, analisar e ver se procede de Deus e está alinhado com a Sua vontade. E também, não podemos rejeitar sem antes julgar.

Neste processo compreendemos a importância de conhecermos as Escrituras para andarmos na vontade do Pai. Para nós não se trata de uma opção, mas a única maneira de nos assegurarmos permanecer no que fomos chamados para viver.