Conhecendo a maldade

“E enviaram-lhe discípulos, juntamente com os herodianos, para dizer-lhe: Mestre, sabemos que és verdadeiro e que ensinas o caminho de Deus, de acordo com a verdade, sem te importares com quem quer que seja, porque não olhas a aparência dos homens. Dize-nos, pois: que te parece? É lícito pagar tributo a César ou não?” (Mateus 22.16–17 RA)

“Jesus, porém, conhecendo-lhes a malícia, respondeu: Por que me experimentais, hipócritas? Mostrai-me a moeda do tributo. Trouxeram-lhe um denário.” (Mateus 22.18–19 RA)

“Responderam: De César. Então, lhes disse: Dai, pois, a César o que é de César e a Deus o que é de Deus.” (Mateus 22.21 RA)

Embora os que O questionaram não estavam interessados na resposta e nem no que lhes ia ensinar, usaram de malícia para tentar pegá-Lo em Suas palavras, mas foram infelizes na estratégia adotada. Jesus ensina algo muito importante que temos que entender: não queiramos misturar as coisas deste mundo com o que é eterno. Impostos, taxas que nos são cobrados, podem ser injustos, mas não é sonegando que revelamos o reino. Devemos ser oferta em favor da vontade de Deus para revelarmos o Seu reino e justiça e andarmos assim no mundo, segundo a justiça do reino, conscientes de que temos uma pátria celestial. Somos peregrinos e não podemos nos prender ao que é importante segundo a maneira de pensar do mundo.