A dúvida que não podemos ter

foto por: Anna Hunko en Unsplash

No livro de apocalipse, no capítulo dezesseis, lemos sobre os flagelos que sobrevirão à humanidade no final dos tempos e do versículo cinco ao sete, podemos ler a declaração sobre a justiça de Deus.

Então ouvi o anjo das águas dizendo: “Tu és justo, tu que és e que eras, o Santo, pois julgaste estas coisas. Porque derramaram sangue de santos e de profetas, também lhes deste sangue para beber. É o que merecem.” Ouvi uma voz do altar, que dizia: “Certamente, ó Senhor Deus, Todo-Poderoso, verdadeiros e justos são os teus juízos.”” (Apocalipse 16.5–7 NAA)

São aspectos de nosso viver, no que pensamos e buscamos que não pode haver dúvidas, pois o Senhor é justo sempre, em todos os Seus julgamentos. Dele e Nele procede  e temos a vida. Não porque merecemos, mas porque Ele é bom, nos consola, fortalece e nos leva no caminho da justiça para revelarmos a Sua glória e justiça. Deus, o nosso Deus, é justo sempre em todos os Seus julgamentos e juízos.

Não podemos ter dúvidas que o Senhor é justo sempre, independente do que estejamos passando, nossas lutas e dificuldades, pois Ele é que nos assegura a vitória sobre o mal e nos permite sabedoria para não sucumbirmos aos apelos deste mundo.

Ouça a mensagem no agregador de PODCAST de tua preferência:

CASTBOX, SPOTFY, DEEZER ou GOOGLE

Publicidade