Somos toda a vontade de Deus para ser revelada

foto por: Patrick Tomasso em Unsplash

O que Deus planejou desde os tempos eternos, antes da criação do mundo, foi e é revelado em Cristo Jesus, e nós como filhos, nascidos de novo do Espírito, feitos à imagem do Filho, com o propósito de revelar as Suas virtudes, de fazer a Sua vontade conhecida, ser expressão da Sua graça de sermos como Ele diante dos homens.

Jesus falando com relação ao plano de Deus e a Sua vontade, ensinando aos discípulos, em Marcos, capítulo quatro, do versículo vinte e um ao vinte e cinco: “Também lhes disse: Vem, porventura, a candeia para ser posta debaixo do alqueire ou da cama? Não vem, antes, para ser colocada no velador? Pois nada está oculto, senão para ser manifesto; e nada se faz escondido, senão para ser revelado. Se alguém tem ouvidos para ouvir, ouça. Então, lhes disse: Atentai no que ouvis. Com a medida com que tiverdes medido vos medirão também, e ainda se vos acrescentará. Pois ao que tem se lhe dará; e, ao que não tem, até o que tem lhe será tirado.” (Marcos 4.21–25, BEARA).

Precisamos compreender que o que temos, o que recebemos de Deus, não é para nós, mas para compartilharmos, repartirmos com todas as pessoas, fazendo como Cristo, sendo a oferta, para que possam conhecer da vontade do Pai, dos mistérios ocultos e revelados em Cristo, para sermos a expressão da Sua graça, a manifestação do Reino neste mundo.

Não vivemos o reino e nem somos filhos quando nos fechamos em nós mesmos, mas, compreendendo a miserabilidade e a cegueira das pessoas no mundo, nos ofertamos, santificando o procedimento, vivendo segundo os valores do reino, para que possam ver a luz e serem salvos dos seus pecados.

Anúncios