Crer não quer dizer ser protegido

Crer não quer dizer ser protegido

foto por: Bradley Dunn em Unsplash

Temos os exemplos de pessoas de fé, como está na carta aos Hebreus, quando fala sobre o que sobreveio a muitos que creram em Deus, no capítulo onze, versículo trinta e seis a trinta e oito:

“Alguns foram insultados e surrados; e outros, acorrentados e jogados na cadeia. Outros foram mortos a pedradas; outros, serrados pelo meio; e outros, mortos à espada. Andaram de um lado para outro vestidos de peles de ovelhas e de cabras; eram pobres, perseguidos e maltratados. Andaram como refugiados pelos desertos e montes, vivendo em cavernas e em buracos na terra. O mundo não era digno deles!” (Hebreus 11.36–38, NTLHE).

Há um equívoco muito grande quando muitos afirmam que por ter fé, Deus os protege de todo mal e que nada pode-lhes acontecer. Este tipo de pensamento é equivocado, trata de um relacionamento com alguma entidade divina, mas não se refere a Deus, o Deus Criador, pois não é assim que Ele faz.

Precisamos parar de pensar religiosamente e temos que compreender que as promessas de Deus não estão relacionadas a proteção do mal que as pessoas podem nos impingir, mas Deus nos protege do mal que está em nós e que podemos querer realizar contra as pessoas que estão à nossa volta. A fé não é para nos proteger do mal que outros possam nos fazer, mas para nos conduzir ao conhecimento de Deus e para aprendermos a andar como Cristo neste mundo.

O crermos em Deus não quer dizer que seremos protegidos do mal que os outros possam nos fazer, mas simplesmente que confiamos nas promessas que Ele nos fez quanto a pátria celestial.