Uma oferta em favor de vidas

Uma oferta em favor de vidas

foto: Jordan Arnold em Unsplash

Quando olhamos a vida de Estevão e vemos o seu testemunho perante o sinédrio, mesmo diante das acusações falsas que fizeram, podemos observar uma pessoa que conhecia a história de seu povo e que estava comprometido com a vontade de Deus e que entendia que a sua vida era uma oferta em favor daqueles que não mereciam, mas que precisavam conhecer o Pai e a Sua vontade.

Após falar, diante do sinédrio, e testemunhar que via a Jesus, ele foi apedrejado e Saulo estava ali perto, como podemos ler em Atos, capítulo sete, versículo cinquenta e oito, até o capítulo oito, versículo um:  “E, lançando-o fora da cidade, o apedrejaram. As testemunhas deixaram suas vestes aos pés de um jovem chamado Saulo. E apedrejavam Estêvão, que invocava e dizia: Senhor Jesus, recebe o meu espírito! Então, ajoelhando-se, clamou em alta voz: Senhor, não lhes imputes este pecado! Com estas palavras, adormeceu. E Saulo consentia na sua morte. Naquele dia, levantou-se grande perseguição contra a igreja em Jerusalém; e todos, exceto os apóstolos, foram dispersos pelas regiões da Judéia e Samaria.” (Atos dos Apóstolos 7.58–8.1, BEARA).

Que ao olharmos uma vida como essa, possamos compreender o significado de ser oferta em favor de quem não conhece a Deus, mas que estava em processo de conhecer o Pai e a Sua vontade, pois é inegável que embora pareça que não surtiu efeito na vida de Saulo, ele foi impactado pelo testemunho de Estevão e que a palavra de Deus estava sendo plantada em sua vida.

Anúncios