A sabedoria se revela nas obras

“Mas a quem hei de comparar esta geração? É semelhante a meninos que, sentados nas praças, gritam aos companheiros: Nós vos tocamos flauta, e não dançastes; entoamos lamentações, e não pranteastes. Pois veio João, que não comia nem bebia, e dizem: Tem demônio! Veio o Filho do Homem, que come e bebe, e dizem: Eis aí um glutão e bebedor de vinho, amigo de publicanos e pecadores! Mas a sabedoria é justificada por suas obras.” (Mateus 11.16–19 RA)

Tanto João, quanto Jesus, diante dos religiosos que os acusavam estavam cometendo pecados sérios e mereciam a punição. A ambos não ouviam, mas criticavam, e o que podemos observar é que olhavam segundo o interesse de seus corações e não conforme as obras que revelavam. Tanto com relação a um ou ao outro, a atitude dos religiosos era de crianças mimadas. Assim como eles, podemos estar agindo diante de Cristo e rejeitando o que é importante. Ambos, João e Jesus, revelavam pelas obras a natureza e o propósito que tinham. As obras revelam a sabedoria de Deus, pois é por meio da sabedoria divina que expressamos e revelamos o reino ao mundo, manifestando o Pai e a Sua vontade, por isso é importante, como Cristo afirmou, julgarmos as obras que são praticadas para vermos se são de Deus ou não.