O amor nos faz progredir na fé

Temos e precisamos compreender que devemos e precisamos guiar a nossa vida pelo amor de Deus que foi derramado em nossas vidas pelo Espírito Santo, de maneira a nos conduzirmos no Seu revelar às pessoas, manifestando compaixão e sendo instrumento de edificação e não de tropeço na vida delas. Não podemos nos deixar guiar pelo conhecimento, mas, pelo amor que edifica.

Na primeira carta de Paulo aos Coríntios, no capítulo oito, ele trata da questão da comida sacrificada a ídolos, se deveriam ou não comê-la. Precisamos entender que não se trata de uma questão de conhecimento, do nosso ponto de vista ou entendimento, mas de sermos instrumentos na edificação do outro.

Como ele fala no versículo um: “Agora vou tratar do problema dos alimentos oferecidos aos ídolos. Na verdade, como se diz, “todos nós temos conhecimento.” Porém esse tipo de conhecimento enche a pessoa de orgulho; mas o amor nos faz progredir na fé.” (1Coríntios 8.1, NTLHE).

Hoje não temos esta questão de comida e ídolos como havia em Corinto, mas temos outros deuses, outros ídolos que erigimos, que normalmente, quando não há o entendimento, ocorre o equívoco por parte do que é fraco na fé.

Existem certas coisas que fazemos que poderíamos deixar de fazer, como é o caso da época de comer ou deixar de comer, como está no versículo oito: “Não é esta ou aquela comida que vai fazer com que Deus nos aceite. Nós não perderemos nada se não comermos e não ganharemos nada se comermos desse alimento.” (1Coríntios 8.8, NTLHE). O que precisamos estar atentos é com relação a liberdade que temos para que não seja um motivo para que o fraco na fé venha a cair, como está no versículo nove: “Mas tenham cuidado para que essa liberdade de vocês não faça com que os fracos na fé caiam em pecado.” (1Coríntios 8.9, NTLHE).

Por isso, ele afirma nos versículos onze e doze: “Assim este cristão fraco, este seu irmão por quem Cristo morreu, vai se perder por causa do “conhecimento” que você tem. Desse modo, pecando contra o seu irmão e ferindo a consciência dele, você estará pecando contra Cristo.” (1Coríntios 8.11–12, NTLHE). E ai, no treze ele termina afirmando: “Portanto, se o alimento faz com que o meu irmão peque, nunca mais vou comer carne a fim de que eu não seja a causa do pecado dele.” (1Coríntios 8.13, NTLHE).

Isto que precisamos entender. Não se trata do que podemos ou não, mas o que os nossos atos provocam na vida dos outros. O quanto o edifica ou destrói a sua fé. Precisamos aprender a nortear a nossa vida não pelo que podemos ou não, mas, pelo que edifica e conduz o outro ao amadurecimento. Quando assim agimos, somos guiados pelo amor de Deus e revelamos a Sua compaixão, expressando quem Ele é, sendo Seus imitadores neste mundo e fazendo da nossa vida uma oferta em favor dos outros.

foto por: Jenn Evelyn-Ann on Unsplash

Anúncios