Deus vê a nossa motivação

testemunhando do Reino

foto por: Ben Steward em Unsplash

Não justificamos a nós mesmos, pois não se trata da aparência, do esforço e nem de nossa religiosidade, mas, de como nos posicionamos diante de nosso Deus, qual a motivação do nosso coração, pois precisamos aprender a viver a vontade do Pai, expressando a plenitude da vida de Cristo que recebemos para sermos instrumentos e expressão da Sua glória.

Jesus falando aos religiosos, menciona este aspecto em Lucas no capítulo dezesseis, versículo quinze: “Mas Jesus lhes disse: Vós sois os que vos justificais a vós mesmos diante dos homens, mas Deus conhece o vosso coração; pois aquilo que é elevado entre homens é abominação diante de Deus.” (Lucas 16.15, BEARA).

Não se trata de aparência, de regras, de dogmas, muito menos de nossa encenação (hipocrisia), mas de sermos expressão plena de Deus, compreendendo que estamos aqui para servirmos à igreja, e como família, servirmos ao mundo, levando o conhecimento do Pai e Sua vontade como filhos. Precisamos ajudar uns aos outros a alcançar a maturidade e a expressar o Senhor, pois somos a luz e o único meio estabelecido por Deus para revelá-Lo a todos.

Não somos chamados para outra coisa, mas única e exclusivamente para revelar o Pai e Suas virtudes às pessoas, manifestando os valores eternos do Reino de Deus a elas, por isso não dá para representar, pois o Pai nos conhece por inteiro.

Anúncios