As obras testificam do Pai

foto por: Omar Roque em Unsplash

Nada mais é importante que as obras que realizamos, pois elas falam de onde viemos, em quem estamos e o que revelamos. E obras devemos entender nas coisas que fazemos, na maneira como nos relacionamos, nas nossas ações e reações com as pessoas, pois nos nossos relacionamentos expressamos a natureza humana (a forma de pensar como pessoa) ou a natureza divina (a forma de pensar de Deus).

Jesus falou que Suas obras testificavam do Pai, isto é, O revelavam e confirmavam que Ele era o Cristo, como estabelecido nas Escrituras. Podemos ler sobre isso no evangelho de João, capítulo dez, versículos vinte e quatro e vinte e cinco: “Rodearam-no, pois, os judeus e o interpelaram: Até quando nos deixarás a mente em suspenso? Se tu és o Cristo, dize-o francamente. Respondeu-lhes Jesus: Já vo-lo disse, e não credes. As obras que eu faço em nome de meu Pai testificam a meu respeito.” (João 10.24–25, BEARA).

As obras que fazemos devem e tem que revelar o Pai. Quando assim fazemos, elas testificam com relação a quem somos, pois como Cristo revelou o Pai por meio de Suas obras, embora alguns não cressem Nele, assim, também é conosco. As obras que fazemos precisam revelar o Pai e embora falem Dele, nem todos crerão, mas mesmo que isso aconteça, não podemos viver segundo o pensamento natural, mas temos que andar neste mundo, como filhos de Deus, revelando a Sua natureza, fazendo obras que falam a Seu respeito, que glorificam o Seu nome.

Somos filhos, temos a mente de Cristo, fomos feito à Sua imagem para que andemos como Ele, revelando o Pai, proclamando Suas virtudes e sendo expressão delas às pessoas, por isso, precisamos amadurecer, caminhar rumo ao nosso alvo de expressarmos Cristo na plenitude da vontade do Pai, testificando que estamos Nele e Ele está em nós.

Anúncios