Jesus veio para salvar o pecador

foto por: Jehyun Sung em Unsplash

Como Ele próprio disse que não tinha vindo para os que estavam bem, mas para os doentes, para aqueles que precisavam de cura, para os miseráveis, não para os bons. Temos que entender que reino de Deus não se trata de religião, de sermos bons, mas de compreendermos que não habita em nós qualquer coisa boa, mas tudo que temos e recebemos e todo o bem que possamos fazer provém de Deus, e é Ele quem nos capacita para vivermos o reino segundo a Sua vontade.

Paulo fala sobre si mesmo e sobre esta salvação, quando escreve a sua primeira carta a Timóteo, capítulo um, versículos quinze e dezesseis: “Fiel é a palavra e digna de toda aceitação: que Cristo Jesus veio ao mundo para salvar os pecadores, dos quais eu sou o principal. Mas, por esta mesma razão, me foi concedida misericórdia, para que, em mim, o principal, evidenciasse Jesus Cristo a sua completa longanimidade, e servisse eu de modelo a quantos hão de crer nele para a vida eterna.” (1Timóteo 1.15–16, BEARA).

Temos que entender que embora tendo sido ele perseguidor da Igreja, foi resgatado e comprado. Cristo se revelou a Ele e ele se submeteu ao Senhor para viver a Sua vontade. Embora, sendo religioso e se empenhando para preservar o que tinha aprendido, sendo zeloso, não estava fazendo a vontade do Pai, mas, a própria. Quando conheceu a Cristo, abandonou tudo isso e se sujeitou a Ele, reconhecendo-O como Senhor. Ele tinha consciência que precisava ser modelo para os irmãos.

Precisamos entender que somos salvos, não porque merecemos, mas por causa da graça do Pai revelada em Cristo que operou em nosso favor, nos reconciliando, fazendo de nós novas criaturas, para sermos exemplo e modelo para todos que vierem a crer em Seu nome.

Introdução as cartas de Timóteo e Tito

Reflexão do dia:

Anúncios