A corrupção em detrimento da justiça

A corrupção em detrimento da justiça

foto por: Wesley Tingey em Unsplash

Pensamos que a questão da corrupção que existe é algo de nossos dias e não compreendemos que se trata de uma condição da natureza humana, que precisa morrer, para que a vida de Deus possa se revelar naqueles que se submetem à Sua vontade, para andar segundo a Sua justiça.

A corrupção é algo inerente a natureza humana e podemos ver isso, na declaração que João relata no capítulo dezessete, versículos um e dois: “Veio um dos sete anjos que têm as sete taças e falou comigo, dizendo: Vem, mostrar-te-ei o julgamento da grande meretriz que se acha sentada sobre muitas águas, com quem se prostituíram os reis da terra; e, com o vinho de sua devassidão, foi que se embebedaram os que habitam na terra.” (Apocalipse 17.1–2, BEARA).

João está se referindo a Roma, mas o que é importante observar é a submissão dos reis da terra em troca de favores, aceitando o que lhes era imposto. Assim se fazia naquela época, assim se faz hoje. Mudamos a questão da tecnologia, mas o que perdura é questão da corrupção que existe em troca de favores, para atender interesses pessoais, em detrimento do exercer de justiça e juízo de um povo.

Precisamos aprender, como filhos de Deus, como cidadãos do Seu reino a não nos deixarmos corromper por uma forma de pensar natural, que é oposta à Sua justiça e o revelar da equidade entre as pessoas. Não podemos, como igreja, como povo de Deus, deixar de andar segundo a retidão e a justiça que manifesta e revela o Senhor ao mundo, independente do que o mundo possa estar fazendo.