Indesculpáveis diante do Senhor!

foto por: Hyunwon Jang em Unsplash

Temos que entender que não se trata do que ouvimos, do que sabemos, do conhecimento que temos, mas das obras que revelamos, de quem expressamos, de como revelamos o Pai, como glorificamos o Seu nome, de sermos imitadores de Cristo, de fazermos da nossa vida uma oferta em favor dos outros para que possam conhecê-Lo e a Sua vontade.

Somos indesculpáveis quando conhecendo a vontade de Deus, não a vivemos, pois pensamos que no julgar os outros estamos livres, mas não. Isto está em Romanos, capítulo dois, versículo um: “Portanto, és indesculpável, ó homem, quando julgas, quem quer que sejas; porque, no que julgas a outro, a ti mesmo te condenas; pois praticas as próprias coisas que condenas.” (Romanos 2.1, BEARA). E no versículo dois e quatro: “Tu, ó homem, que condenas os que praticam tais coisas e fazes as mesmas, pensas que te livrarás do juízo de Deus? Ou desprezas a riqueza da sua bondade, e tolerância, e longanimidade, ignorando que a bondade de Deus é que te conduz ao arrependimento?” (Romanos 2.3–4, BEARA).

Não somos indesculpáveis quando criticamos os outros por suas obras e fazemos o mesmo. Precisamos entender que o conhecimento de Deus, Sua benignidade que nos conduzem ao Seu conhecimento e Sua vontade, nos leva ao arrependimento, para vivermos segundo a Sua querer, santificando e glorificando o Seu nome.

Fomos chamados para revelá-Lo ao mundo, para realizarmos as obras que santificam e glorificam o Seu nome, para sermos imitadores de Cristo, por isso, precisamos colocar o nosso coração em desejar o conhecimento do Pai e Sua vontade, pois nisto é que não só nos conduzirá na Sua expressão, como seremos instrumentos e modelos para outros fazerem o mesmo.

Anúncios