Combatendo os falsos profetas

tanner-vines-37711 - 500x250

foto por: Tanner Vines em Unsplash

Falsos profetas sempre existirão. Eles existiram no passado, no início da igreja e sempre existirão e não os combatemos, simplesmente falamos sobre suas heresias e ensinamentos que traduzem o pensamento natural, no que tange a busca dos interesses pessoais, mas os combatemos quando vivemos a plenitude da vontade de Deus e somos a expressão de Cristo neste mundo.

Pedro, em sua segunda carta, no capítulo dois, versículo um,fala com relação aos profetas falsos: “No passado apareceram falsos profetas no meio do povo, e assim também vão aparecer falsos mestres entre vocês. Eles ensinarão doutrinas destruidoras e falsas e rejeitarão o Mestre que os salvou. E isso fará com que caia sobre eles uma rápida destruição.” (2Pedro 2.1, NTLHE). E do versículo dois ao três ele completa: “Mesmo assim, muita gente vai imitar a vida imoral deles, e por causa desses falsos mestres muitas pessoas vão falar mal do Caminho da verdade. Em sua ambição pelo dinheiro, esses falsos mestres vão explorar vocês, contando histórias inventadas. ….” (2Pedro 2.2–3, NTLHE).

Não se trata de existir ou não  ou se terão pessoas que os seguirão, e se o caminho será difamado, pois tudo isso irá ocorrer. O que precisamos entender é que os combatemos não pelo que falamos, mas, pela maneira como vivemos, expressamos o Reino, revelamos Cristo no mundo e fazemos da nossa vida uma oferta para que a vontade do Pai se cumpra.

Não se trata de palavras para combater as heresias, mas de uma vida que revela uma oferta. Precisamos caminhar rumo à maturidade e revelarmos Cristo ao mundo, temos que ser a expressão visível do Deus invisível, pois para isso fomos chamados, por isso Ele nos fez filhos e fomos capacitados para vivermos como Ele, ofertando nossas vidas em favor dos outros, como uma atitude de compaixão para que conheçam o Pai e a Sua vontade.

Anúncios