A consciência da vontade cumprida!

Consciência do trabalho realizado

foto por: Clem Onojeghuo em Unsplash

Quando paramos e refletimos, talvez não exista nada que nos concede o gozo maior que o saber que o dever foi cumprido, que a vontade do Pai foi  realizada, sem pensarmos no que sofremos, nas dificuldades e problemas que enfrentamos. Quando assim olhamos, não só amadurecemos como estamos revelando a nossa semelhança com o Senhor.

Jesus depois de tudo que padeceu, ter sido crucificado, já na cruz fala sobre este aspecto. Podemos ler em João, capítulo dezenove, do versículo vinte e oito ao trinta: “Agora Jesus sabia que tudo estava completado. Então, para que se cumprisse o que dizem as Escrituras Sagradas, disse: — Estou com sede! Havia ali uma vasilha cheia de vinho comum. Molharam no vinho uma esponja, puseram a esponja num bastão de hissopo e a encostaram na boca de Jesus. Quando ele tomou o vinho, disse: Tudo está completado! Então baixou a cabeça e morreu.” (João 19.28–30, NTLHE).

Como olhamos a nossa vida? Na perspectiva de receber, alcançar ou na certeza e entendimento que existimos para sermos uma oferta agradável a Deus em favor das pessoas, mesmo daquelas que não merecem, que nos negam, que nos magoam e ofendem?

Temos e precisamos compreender a vontade do Pai, fazer da nossa vida uma oferta em favor de todos, em todos os lugares para que possam conhecê-Lo e assim vivermos na perspectiva de que tudo foi cumprido, que a Sua vontade foi realizada e que está tudo consumado. Que possamos amadurecer e revelarmos, neste mundo, a obra que Ele realizou em nós por meio de Cristo Jesus, pois fomos feitos à Sua semelhança.

Anúncios