Expressão de generosidade e não avareza

Expressão de generosidade e não avareza

foto por: Sweet Ice Cream Photography em Unsplash

Precisamos compreender que como lidamos com os recursos materiais que estão sob nossa administração, não só revelamos o nosso entendimento e conhecimento de Deus, mas o quanto expressamos a Sua justiça neste mundo.

Tudo que está em nossas mãos, não é para nosso uso exclusivo, mas para compreendermos que temos que usar segundo a vontade e o amor de Deus. Paulo instruindo aos irmãos de Corinto, na sua segunda carta, capítulo nove, versículo cinco, afirma: “Portanto, julguei conveniente recomendar aos irmãos que me precedessem entre vós e preparassem de antemão a vossa dádiva já anunciada, para que esteja pronta como expressão de generosidade e não de avareza.” (2Coríntios 9.5, BEARA).

A revelação da justiça de Deus está no fato de como repartirmos a abundância, isto é, o quanto somos generosos ou não com as pessoas. Depois dele falar sobre generosidade, ele afirma do versículo seis ao oito: “E isto afirmo: aquele que semeia pouco, pouco também ceifará; e o que semeia com fartura com abundância também ceifará. Cada um contribua segundo tiver proposto no coração, não com tristeza ou por necessidade; porque Deus ama a quem dá com alegria. Deus pode fazer-vos abundar em toda graça, a fim de que, tendo sempre, em tudo, ampla suficiência, superabundeis em toda boa obra,” (2Coríntios 9.6–8, BEARA).

Que possamos compreender que não tem como revelarmos o nosso Deus se não formos generosos, e que contribuímos com liberalidade, pois no repartir, expressamos não só o Seu amor como a Sua justiça a todos para que o Seu nome seja glorificado, por isso, não sejamos avarentos.

Anúncios