Os finais dos tempos, as aflições e a esperança

foto por: Kyle Cottrell em Unsplash

Jesus ao falar dos finais dos tempos, aborda diferentes aspectos do que irá acontecer, muitos vivemos em nossos dias e experimentamos. Ele fala de guerras, rumores de guerras, terremotos, doenças, aflições e fome. Coisas que afetam a todos aqueles que tem fé e os que não tem, pois vivemos em um mundo corrompido e sem o conhecimento de Deus. Até o inocente, uma criança que não pode se defender, é afetada por tudo isso.

Deus é culpado de tudo isso ou tudo isso é resultante da corrupção da natureza humana? Não podemos ter dúvidas, pois é a corrupção humana, os desejos naturais que nos conduzem ao desastre que vislumbramos. Não adianta querermos reparar o ser humano e fazer um melhor, não tem como, pois a corrupção é algo inerente à natureza humana, não existe esperança e nem como fazermos um novo ser que não por meio de Cristo, por isso o evangelho precisa ser pregado em todos os lugares.

Jesus, durante sua explicação, no capítulo treze, fala com relação a este assunto, e no versículo dez, Ele fala desta necessidade: “Mas é necessário que primeiro o evangelho seja pregado a todas as nações.” (Marcos 13.10, BEARA).

Como podemos pregar? Somente falando da religiosidade e continuando a viver como seres corruptos, andando segundo o pensamento natural? Não! Este é o ponto que precisamos entender. Fomos feitos novas criaturas, criados à imagem do Filho, para revelá-Lo ao mundo e trazer esperança de salvação, de reconciliação, de libertação. Temos e precisamos proclamar as virtudes de Deus e fazê-Lo conhecido entre os homens, manifestando a Sua graça salvadora a todos.

Só fazemos isso e só revelamos Deus quando fazemos da nossa vida a verdadeira oferta que O revela, quando somos imitadores de Cristo e conduzimos as pessoas ao conhecimento do Pai.

 

Anúncios