Mostra nos o Pai

Revelamos o Pai na maneira como o imitamos

foto por: Danielle MacInnes on Unsplash

O que pensamos quando ouvimos que precisamos conhecer a Deus e a Sua vontade? Pensamos na mesma perspectiva de Felipe quando pediu isso ao Senhor? Ou entendemos que conhecemos O quando conhecemos Cristo, Seu Filho, e entendemos que temos que ser Seus imitadores? Temos e precisamos compreender que é por meio de Cristo que conhecemos ao Pai, pois Ele é a expressão viva de Deus.

Esta situação de Jesus com Felipe, está em João, capítulo quatorze, versículo oito: “Filipe disse a Jesus: — Senhor, mostre-nos o Pai, e assim não precisaremos de mais nada.” (João 14.8, NTLHE). O que foi que Jesus respondeu? Isto podemos ler do versículo nove ao onze: “Jesus respondeu: — Faz tanto tempo que estou com vocês, Filipe, e você ainda não me conhece? Quem me vê vê também o Pai. Por que é que você diz: “Mostre-nos o Pai”? Será que você não crê que eu estou no Pai e que o Pai está em mim? Então Jesus disse aos discípulos: — O que eu digo a vocês não digo em meu próprio nome; o Pai, que está em mim, é quem faz o seu trabalho. Creiam no que lhes digo: eu estou no Pai e o Pai está em mim. Se vocês não creem por causa das minhas palavras, creiam pelo menos por causa das coisas que eu faço.” (João 14.9–11, NTLHE).

Mas o que aprendemos disto e o que significa para nós? Fomos feitos novas criaturas, agora seres espirituais, nascemos de novo, nascemos do Espírito e feitos à semelhança do Filho de Deus para sermos Seus imitadores. Como Paulo afirma, como embaixadores, reconciliadores dos homens com Deus, somos cartas vivas, o bom perfume de Cristo, a fragrância que revela o Seu conhecimento.

Se somos isso o que está na Palavra, então temos que crer quanto ao que foi proferido. Se aceitarmos como um fato, temos que caminhar rumo a expressão completa da obra de Deus em nossas vidas. Como fazemos isso? Esta é a jornada de maturidade. É a jornada de santificação, o caminhar rumo a revelarmos quem somos em Deus (expressão da plenitude de Cristo). Temos e precisamos compreender que santificamos o procedimento para revelar o Pai ao mundo, expressando-O a todos, em todos os lugares e em todo o tempo. Não se trata de pedirmos que nos seja mostrado o Pai, mas O conhecemos porque conhecemos a Cristo, e por tê-Lo conhecido, precisamos revela-Lo ao mundo, às pessoas, para que possam vê-Lo em nós e através de nós pela maneira como vivemos e nos relacionamos com as pessoas.

Anúncios