Maduros ou imaturos

Precisamos entender que temos uma jornada de crescimento, de amadurecimento para sermos expressão de Deus neste mundo e que não podemos viver o Seu reino e a Sua vontade se não caminharmos rumo a sermos maduros na fé. Pessoas que entendem a vontade do Pai, a ela se submetem e vivem como filhos revelando-O em suas ações. Demonstramos que somos imaturos quando andamos conforme o pensamento deste mundo e na sua sabedoria.

Paulo fala sobre isso na sua primeira carta aos Coríntios, quando fala que eles já deveriam ser maduros na fé, mas viviam como crianças espirituais, isto está no capítulo três, nos versículos um e dois: “Na verdade, irmãos, eu não pude falar com vocês como costumo fazer com as pessoas que têm o Espírito de Deus. Tive de falar com vocês como se vocês fossem pessoas do mundo, como se fossem crianças na fé cristã. Tive de alimentá-los com leite e não com comida forte, pois vocês não estavam prontos para isso. E ainda não estão prontos,” (1Coríntios 3.1–2, NTLHE).  E ele diz porque os teve que tratar como crianças, isto no versículo três: “porque vivem como se fossem pessoas deste mundo. Quando existem ciumeiras e brigas entre vocês, será que isso não prova que vocês são pessoas deste mundo e fazem o que todos fazem?” (1Coríntios 3.3, NTLHE).

Temos e precisamos entender que não podemos continuar sendo crianças, andando pelo pensamento deste mundo e não como pessoas que tem a mente de Cristo. Fomos chamados para sermos como Ele, a revelarmos a Sua natureza e Sua vida. Temos que entender que como Cristo, precisamos fazer da nossa vida uma oferta em favor das pessoas para que conheçam o Pai, para que vivamos como Ele, para que ao olhar as pessoas, tenhamos compaixão e nos movamos em seu favor, conduzindo-as ao Seu conhecimento. Não estamos aqui para defender pensamento e nem posição da natureza humana, mas, para expressarmos o nosso Pai ao mundo, portanto, precisamos ser maduros, como filhos que expressam que somos.

foto: Peter Hershey

Anúncios