Obedecer a vontade de Deus

Temos uma responsabilidade perante as pessoas, determinada pelo Senhor, que está relacionada a ir a todos os lugares e anunciar o evangelho, ensinando sobre o que Ele falou.

Paulo tendo entendido isso, não hesitou, mas fez o que lhe havia sido pedido, como podemos ler em Atos no capítulo vinte e seis, do versículo dezenove ao vinte e um: “E Paulo terminou, dizendo: — Portanto, ó rei Agripa, eu não desobedeci à visão que veio do céuAnunciei a mensagem primeiro em Damasco e depois em Jerusalém, em toda a região da Judéia e entre os não-judeus. Eu dizia a todos que eles precisavam abandonar os seus pecados, voltar para Deus e fazer coisas que mostrassem que estavam, de fato, arrependidos. Foi por isso que alguns judeus me agarraram quando eu estava no pátio do Templo e quiseram me matar.” (Atos dos Apóstolos 26.19–21, NTLHE).

O fundamental é o que ele afirma sobre esta jornada, como está dos versículos vinte e dois e vinte e três: “Mas até hoje Deus tem me ajudado, e por isso estou aqui trazendo a sua mensagem a todos, tanto aos humildes como aos importantes. Pois eu digo a mesma coisa que os profetas e Moisés disseram que ia acontecer. Eles afirmaram que o Messias precisava sofrer e ser o primeiro a ressuscitar, para anunciar a luz da salvação tanto aos judeus como aos não-judeus.” (Atos dos Apóstolos 26.22–23, NTLHE).

Precisamos entender que não estamos circunscritos a anunciar somente a alguns, mas a todos, de todos os níveis sociais  e em todos os lugares, para que se arrependam e se convertam. Mas é fundamental entendermos que temos que ser modelos, a expressão de Deus diante dessas pessoas para que as nossas palavras sejam confirmadas pelas nossas ações. Além deste aspecto, precisamos entender que temos que fazer da nossa vida uma oferta em favor daqueles que não conhecemos, dos que não são dignos e nem merecedores, pois é nisto que está a obediência à vontade de Deus e a expressão de quem Ele é.

Anúncios