A recompensa não é determinada pelo serviço

A recompensa não é determinada pelo serviço

foto por: Eve Tu em Unsplash

O reino de Deus não se trata do quanto trabalhamos, do serviço que realizamos, pois não somos recompensados pelo empenho e nem por quanto fizermos, mas por compreendermos e recebermos a graça com gratidão.

Jesus contou uma estória sobre o reino de Deus e alguns pensavam que iriam receber mais que outros, em Mateus, capítulo vinte, versículo um e dois: “Porque o reino dos céus é semelhante a um dono de casa que saiu de madrugada para assalariar trabalhadores para a sua vinha. E, tendo ajustado com os trabalhadores a um denário por dia, mandou-os para a vinha.” (Mateus 20.1–2, BEARA).

Quando estava fazendo o pagamento para todos os trabalhadores, e todos receberam um denário, desde o último que trabalhou somente uma hora, até o primeiro, mas qual foi a postura dos primeiros? Podemos ler do versículo dez ao doze:  “Ao chegarem os primeiros, pensaram que receberiam mais; porém também estes receberam um denário cada um. Mas, tendo-o recebido, murmuravam contra o dono da casa, dizendo: Estes últimos trabalharam apenas uma hora; contudo, os igualaste a nós, que suportamos a fadiga e o calor do dia.” (Mateus 20.10–12, BEARA). Qual foi a resposta do proprietário para estes últimos? Podemos ver nos versículos treze e quatorze: “Mas o proprietário, respondendo, disse a um deles: Amigo, não te faço injustiça; não combinaste comigo um denário? Toma o que é teu e vai-te; pois quero dar a este último tanto quanto a ti.” (Mateus 20.13–14, BEARA).

Não recebemos paga pelo trabalho que realizamos no reino de Deus, pois não se trata de recompensa pelo empenho, mas trabalhamos pela expressão da gratidão pelo que Ele já fez, pela libertação recebida, pela graça imerecida e o que receberemos é o mesmo que aquele que foi salvo estando na cruz.

O reino não se trata do que fizermos para receber, mas da oferta que fazemos por compreender o que recebemos do Pai e que não existe qualquer mérito de nossa parte.

Anúncios