Nem sempre é como desejamos ou pensamos

Pensamos muitas vezes que por nos conhecerem, por termos vivido juntos, pelo testemunho que dávamos de quem éramos, as pessoas nos ouvirão e entenderão a mensagem do evangelho pelo novo testemunho que venhamos a proclamar, mas isto, não necessariamente é verdade e nem sempre ocorre como esperamos ou desejamos.

Paulo é um exemplo disto, quando testemunhando de sua conversão ao evangelho, como podemos ler em atos no capítulo vinte e dois, em Jerusalém, pensando que iria testemunhar com relação a Jesus, mas o que ouve do Senhor?

Isso está nos versículos dezessete e dezoito: “E Paulo terminou, dizendo: Então eu voltei para Jerusalém. Quando estava orando no Templo, tive uma visão. Vi o Senhor, e ele me disse: “Saia depressa de Jerusalém porque as pessoas daqui não aceitarão o que você vai dizer a meu respeito.”” (Atos dos Apóstolos 22.17–18, NTLHE). E ele contrapondo ao que o Senhor o advertia, afirma o seguinte: “— Eu respondi: “Senhor, eles sabem muito bem que eu ia às sinagogas, e prendia os que criam em ti, e batia neles. Quando estavam matando Estêvão, que falava a respeito de ti, ó Senhor, eu estava ali, concordando com aquele crime. E até tomei conta das capas dos assassinos dele. — Aí o Senhor disse: “Vá, pois eu vou enviá-lo para bem longe; vou enviá-lo aos não-judeus.” (Atos dos Apóstolos 22.19–21, NTLHE).

Nem sempre é conforme pensamos ou desejamos, mas precisamos aprender a ouvir e obedecer o que o Senhor nos fala, pois o que importa é sermos instrumentos que Ele deseja que sejamos, onde Ele deseja e não o que achamos ser o mais lógico, pois no Reino, as coisas não funcionam pela racionalidade humana, mas de acordo com leis espirituais e o querer e vontade de Deus.  Temos e precisamos independente de qualquer coisa estarmos sujeitos à Sua vontade e sermos expressão neste mundo do que Ele é, para que aceitando ou não o nosso testemunho, não tenham qualquer coisa má que dizer a nosso respeito.

Anúncios