A expressão da igreja no dia a dia

Sabemos que igreja não é templo (prédio), nem simplesmente um grupo de pessoas que se reúnem em nome de Jesus, mas, pessoas que tem o conhecimento de Deus, que estão juntas por causa da Sua vontade, que se vêem como família e principalmente compreendem que o papel não é viver para si mesmo, mas sabendo da necessidade uns dos outros, se coloca à disposição, diante da sua fartura, conhecimento e talento, em ajudar aqueles que precisam naquele momento, se vendo como fonte para a solução da necessidade do outro.

Podemos ler em Atos que este era o entendimento que se tinha no início da igreja, no capítulo onze, nos versículos vinte e nove e trinta, que fala da atitude da igreja de Antioquia com relação aos que viviam na Judeia: “Então os cristãos resolveram mandar ajuda aos irmãos que moravam na região da Judéia, e cada um deu de acordo com o que tinha. E mandaram o dinheiro por meio de Barnabé e Saulo, para que eles o entregassem aos presbíteros da igreja.” (Atos dos Apóstolos 11.29–30, NTLHE).

Reforçando: igreja não é ajuntamento de pessoas, mas, pessoas que compreendem a vontade de Deus e o Seu propósito, a Ele se submetem e fazem de suas vidas uma oferta em favor do outro para que cada um chegue à maturidade, a expressão de Cristo, a uma vida que esteja alinhada com a vontade de Deus e que principalmente, não se sente dono no que tem, mas administrador fiel daquilo que o Pai colocou em suas mãos para administrar de modo eficiente, usando para o próprio sustento, e também, para suprir a necessidade daqueles que tem falta.

Anúncios