Dar o que necessitam

Nem sempre o que as pessoas estão pedindo é o que necessitam. Temos vários exemplos disto na bíblia, onde as pessoas pediam curas. Jesus até os curava, mas lhes mostrava algo superior, revelava lhes o perdão. Pedro e João, também, quando um paralítico lhes pede esmola, eles lhe propiciaram a cura. E nesta cura não só testemunharam do poder de Deus, mas trouxeram a verdadeira liberdade para aquele homem.

Podemos ler sobre esta situação em Atos, no capítulo três, do versículo quatro ao oito: “ Eles olharam firmemente para ele, e Pedro disse: — Olhe para nós! O homem olhou para eles, esperando receber alguma coisa. Então Pedro disse: — Não tenho nenhum dinheiro, mas o que tenho eu lhe dou: pelo poder do nome de Jesus Cristo, de Nazaré, levante-se e ande. Em seguida Pedro pegou a mão direita do homem e o ajudou a se levantar. No mesmo instante os pés e os tornozelos dele ficaram firmes. Então ele deu um pulo, ficou de pé e começou a andar. Depois entrou no pátio do Templo com eles, andando, pulando e agradecendo a Deus.” (Atos dos Apóstolos 3.4–8, NTLHE).

Precisamos compreender que não estamos aqui neste mundo para conceder às pessoas o que pedem, mas sim o que necessitam. Tendo o entendimento, discernimento e compreendendo a vontade de Deus, precisamos agir com compaixão e fazer das nossas vidas uma oferta em favor das pessoas para que conheçam a Deus. Fazer da nossa vida uma oferta implica em morrermos para nós, para os nossos sonhos e nos sujeitarmos à vontade do Pai, agindo como Seus filhos, sendo Seus imitadores.

Anúncios