O que fazer para obter a vida eterna?

Talvez esta é uma pergunta que todos nós nos fazemos, “estou fazendo o que precisa ser feito para ter a vida eterna?”. São aspectos importantes em nossa vida que precisamos refletir. Precisamos estar convictos das nossas ações e o alinhamento delas em relação à vontade de Deus para que o alcançar a vida eterna seja decorrente do que Ele falou e não de nossas expectativas.

Jesus conversando com um homem sobre isso, responde a ele sobre que precisava fazer, como podemos ler em Mateus, no capítulo dezenove, versículo dezesseis: “Certa vez um homem chegou perto de Jesus e perguntou: Mestre, o que devo fazer de bom para conseguir a vida eterna?” (Mateus 19.16, NTLHE). Jesus para mostrar-lhe sua realidade e o quanto estava equivocado em seus pensamentos, pergunta-lhe sobre os mandamentos, pois ele pensava que pela obediência, por cumprir a todos, teria o direito de ter a vida eterna, e o homem responde no versículo vinte:  “ — Eu tenho obedecido a todos esses mandamentos! — respondeu o moço. — O que mais me falta fazer?” (Mateus 19.20, NTLHE). Com esta pergunta Jesus mostra-lhe o que o estava impedindo de receber a vida eterna, como podemos ler nos versículos vinte e um e vinte e dois: “ Jesus respondeu: Se você quer ser perfeito, vá, venda tudo o que tem, e dê o dinheiro aos pobres, e assim você terá riquezas no céu. Depois venha e me siga. Quando o moço ouviu isso, foi embora triste, pois era muito rico.” (Mateus 19.21–22, NTLHE).

A questão na resposta de Jesus não está na riqueza, mas, onde o homem colocava o seu coração e sua confiança, pois idolatrava o que tinha e cria que pela obediência aos mandamentos alcançaria a vida eterna.

A coisa mais importante que temos que entender é que a vida eterna não é para o futuro, mas, para agora e que a mesma está em conhecer a Deus, como Jesus afirmou em sua oração e está registrado por João, no capítulo dezessete. Mas o mais importante é compreendermos que temos que morrer para este mundo, negarmos a nós mesmos, tomarmos a cruz, que é instrumento de morte e seguirmos o modelo de Cristo.

Não podemos colocar o nosso coração em nada deste mundo, mas, no viver a vontade do Pai, reconhecendo que Ele é quem concede a salvação pela Sua graça por meio da fé em Cristo e que não depende de obra que fizermos. As obras não são para sermos salvos, mas para expressarmos o que recebemos Dele e para que o Seu nome seja glorificado. E que a vida eterna está em conhecer e sermos Seus imitadores.

Anúncios