Casamento: Não dois, mas uma só pessoa!

Por não entendermos os processos e nem o propósito, continuamos a agir em nossas vidas como indivíduos e não entendemos a razão do porquê das coisas. E dentre os vários assuntos podemos citar o casamento, pois achamos que são duas pessoas que continuam a viver cada um segundo os seus interesses e individualidade, onde cada um busca no outro o atendimento de suas expectativas e não a oferta que temos que fazer em favor do relacionamento, como uma só pessoa, assim como é no casamento, a vida de igreja não é diferente.

Jesus, respondendo aos religiosos, sobre dar ou não carta de divórcio, em Mateus no capítulo dezenove, do versículo três ao seis, traz o seguinte entendimento: “Alguns fariseus chegaram perto dele e, querendo conseguir alguma prova contra ele, perguntaram: Será que pela nossa Lei um homem pode, por qualquer motivo, mandar a sua esposa embora? Jesus respondeu: Por acaso vocês não leram o trecho das Escrituras que diz: “No começo o Criador os fez homem e mulher”? E Deus disse: “Por isso o homem deixa o seu pai e a sua mãe para se unir com a sua mulher, e os dois se tornam uma só pessoa.  Assim já não são duas pessoas, mas uma só. Portanto, que ninguém separe o que Deus uniu.” (Mateus 19.3-6, NTLHE).

O casamento não é para que dois vivam juntos, mas que de dois se faça uma só pessoa, um casal, não um homem e nem uma mulher, mas sim que os dois, façam da suas vidas uma oferta em favor do outro, o propósito é para que os dois vivam em favor da relação.

Assim como é no casamento, também é no corpo de Cristo, na igreja, onde não somos mais indivíduos, buscando a satisfação de nossos interesses e nem usarmos do outro para atender às nossas expectativas e nem usar para alcançar os nossos objetivos, mas para que cada um compreendendo que é parte, é membro do corpo, que não vivemos mais para a nossa individualidade e que comprometidos com Deus e com a Sua vontade, ofereçamos a nossa vida em favor da unidade do corpo para a expressão de Deus.

Jesus nos chamou para que unidos com Ele, com o Pai e uns com os outros, por meio do Espírito Santo, e tendo recebido o poder (autoridade), sido capacitados e recebidos da natureza divina, vivamos como filhos de Deus, como Seus imitadores, fazendo da unidade o compromisso maior, para que vejam a Deus por meio das nossas vidas, assim, também, aprendamos a viver o casamento segundo o mesmo fundamento, para que não vejam um ou outro, mas sim, o casal como expressão da vontade de Deus.

Anúncios