Os modelos que servem a Igreja

Ao líderes cabe o exemplo e modelo para os outros

foto por: Jonathan Pendleton em Unsplash

Temos e precisamos olhar as coisas de uma perspectiva diferente e pararmos de pensar de forma natural. Primeiro: temos que entender que liderança, ser líder, não tem nada a ver com cargo, posição. Segundo: quem é líder, é responsável por conduzir outros à maturidade e a revelar Cristo por meio das suas ações.Ser líder é chamar para si a responsabilidade de ser exemplo e modelo para os outros.

Quando olhamos na perspectiva do que Paulo escreve a Timóteo, em sua primeira carta, temos duas posições de liderança: o presbítero, o bispo, o ancião e temos o diácono. Para ambos os requisitos como pessoas são as mesmas quanto as funções são diferentes, podemos ler sobre isso na primeira carta a Timóteo, no capítulo três.

Quanto ao bispo (presbítero, ancião), deve ser moderado, prudente e simples, hospitaleiro, não pode ser chegado ao vinho, nem ser briguento, mas pacífico e calmo, não pode ser avarento nem focado no dinheiro, deve ser respeitado pelos de fora, ser um bom chefe de família e saber educar os filhos, pois se não sabe governar a casa, como irá governar a família de Deus? Mas, deve ser uma pessoa que gosta de ensinar. E o diácono? Devem ser homens de palavra, sérios, não ser beberrão, não ser ganancioso, ter sempre a consciência limpa. Devem ser provados, respeitáveis, suas esposas não podem ser fofoqueiras, devem ser moderadas e devem saber governar a própria casa.

O que tiramos disto? Que ambos devem ser exemplos, modelos para a igreja, tanto dentro quanto fora, pois o processo para conduzir as pessoas à maturidade é quando, além de falar-lhes como devem ser, revelam em atos as palavras ensinadas. Além disto, precisam ofertar as suas vidas em favor dos outros para que possam conhecer o Pai e assim, ensinar outros a serem como eles.

Anúncios