Andar segundo o chamado

Há um equívoco muito grande em nossas atitudes quanto a condução das pessoas ao conhecimento de Deus. Não entendemos que todos nós fomos chamados para permanecermos pelo que somos para revelar o reino onde estivermos. Podemos mudar nossa realidade diante das oportunidades que nos são oferecidas, mas não estamos aqui para corrermos atrás do que não temos. Precisamos entender que somos chamados para conhecer Deus, Sua vontade e para revela-Lo onde estivermos.

Paulo escreve sobre isso na primeira carta aos Coríntios, no capítulo sete, do versículo dezoito ao vinte e três: “Se um homem judeu, que é circuncidado, aceita o chamado de Deus, ele não deve tirar as marcas da circuncisão. E, se um homem não-judeu, que não é circuncidado, aceita o chamado de Deus, ele não deve circuncidar-se. Não faz diferença estar circuncidado ou não; o que importa é obedecer aos mandamentos de Deus. Cada um deve continuar como era quando aceitou o chamado de Deus. Você era escravo quando Deus o chamou? Não se preocupe com isso. Mas, se você pode se tornar livre, então aproveite a oportunidade. Pois o escravo que foi chamado pelo Senhor é agora um homem livre que pertence ao Senhor. Assim também o homem livre que foi chamado por Cristo é escravo de Cristo. Deus comprou vocês por um preço; portanto, não se tornem escravos de seres humanos.” (1Coríntios 7.18–23, NTLHE).

Não fomos chamados para sermos escravos de homens, para sairmos de onde estamos e nem para mudarmos as nossas condições, mas fomos chamados para sermos luz segundo o nosso chamado, revelarmos Deus às pessoas que nos cercam e com quem convivemos. Temos que entender que precisamos amadurecer, compreender a Sua vontade e sermos luz para aqueles com quem convivemos que, como nós, não O conhecem e nós temos que revela-Lo a eles.

Não se trata de trazer as pessoas para o nosso meio, mas, de levarmos o que somos a todas as pessoas em todos os lugares e ensina-las a viver o reino de Deus segundo a Sua vontade.

foto: Warren Wong

Anúncios