Pecadores: alvo da compaixão

Precisamos nos converter ao evangelho e à vontade de Deus e cumprirmos o nosso papel como Cristo cumpriu. Temos que entender que não estamos aqui para andar com os bons, não para nos separarmos, mas para nos juntarmos aos pecadores e aos que não são bons, para que influenciando-os com as virtudes do Pai, possamos conduzi-los ao Seu conhecimento.

Jesus nos dá o exemplo, podemos ler sobre isso em Marcos no capítulo dois, do versículo quinze ao dezessete: “Mais tarde, Jesus estava jantando na casa de Levi. Junto com Jesus e os seus discípulos estavam muitos cobradores de impostos e outras pessoas de má fama que o seguiam. Alguns mestres da Lei, que eram do partido dos fariseus, vendo Jesus comer com aquela gente e com os cobradores de impostos, perguntaram aos discípulos: Por que ele come e bebe com essa gente? Jesus ouviu a pergunta e disse aos mestres da Lei: Os que têm saúde não precisam de médico, mas sim os doentes. Eu vim para chamar os pecadores e não os bons.” (Marcos 2.15–17, NTLHE).

Até quando continuaremos no nosso foco religioso, sem o entendimento da vontade de Deus, querendo converte-Lo às nossas necessidades e não entendemos que somos nós que temos que nos submeter ao Seu querer? Até quando continuaremos a viver uma hipocrisia religiosa e não nos submeteremos a viver o evangelho que proclama e revela o Reino neste mundo, que manifesta as virtudes de Deus e que demonstra e age com compaixão?

Precisamos nos converter a Deus e nos submetermos à Sua vontade para cumprirmos a vocação que Ele designou para nós e assim, conduzirmos as pessoas ao conhecimento e a submissão da Sua vontade. Nosso propósito de vida é levar Deus aos pecadores e aos que não são bons para que vendo-O em nós, possam se converter a Ele. Fazermos isso, é entendermos o significado de compaixão.

Anúncios