Não entendemos a vontade de Deus

Jesus andou com os discípulos por três anos, falou-lhes com relação ao reino, explicou-lhes sobre a Sua vontade, o Seu plano e como deveriam agir, afirmou que o reino era chegado, mas eles não entenderam o que Ele havia falado, mesmo depois da Sua ressurreição.

Em Atos, no capítulo um, no versículo seis, podemos ler sobre o questionamento dos discípulos, que diz:  “Certa vez, os apóstolos estavam reunidos com Jesus. Então lhe perguntaram: É agora que o senhor vai devolver o Reino para o povo de Israel?” (Atos dos Apóstolos 1.6, NTLHE). A resposta de Jesus foi simples e clara, como podemos ler nos versículos sete e oito: “ Jesus respondeu: Não cabe a vocês saber a ocasião ou o dia que o Pai marcou com a sua própria autoridade. Porém, quando o Espírito Santo descer sobre vocês, vocês receberão poder e serão minhas testemunhas em Jerusalém, em toda a Judéia e Samaria e até nos lugares mais distantes da terra.” (Atos dos Apóstolos 1.7–8, NTLHE).

Fomos chamados para sermos testemunhas, mas nós nos preocupamos com as coisas temporárias, focamos e colocamos o nosso coração em coisas deste mundo e não compreendemos os valores eternos, o plano e a vontade de Deus e não nos sujeitamos à Sua vontade. Temos que entender que o Seu reino é chegado e que nós somos, como filhos de Deus, responsáveis por revela-Lo entre os homens.

Sermos testemunhas implica em agirmos como Seus imitadores, procedendo conforme a Sua natureza, revelando as Suas virtudes entre os homens.  Não é para nos preocuparmos e buscarmos o realizar das coisas desta vida e nem sermos como um peixe em um cardume seguindo a multidão, mas como filhos, temos o compromisso de revelar o reino, manifestar Deus aos homens, revelarmos quem Ele é. Não temos nenhum outro compromisso.

Anúncios