Como não pertencer ao Senhor

Esta é a questão mais importante que devemos responder: somos do Senhor? Estamos com Ele? Ou achamos que estamos pelo serviço que realizamos? E no nosso entendimento o serviço que realizamos está alinhado com o que é da Sua vontade? Ou é algo que pertence ao pensamento natural e não traduz a Sua vontade, mas somente religiosidade?

Compreender a vontade Dele, conhece-Lo e sermos Seus imitadores é que nos conduzirá ao exercício de nosso papel e ao cumprimento do propósito estabelecido por Ele para nós, por isso é crucial buscarmos conhecê-Lo, pois nesta atitude está a vida eterna e nela o compreender a Sua vontade para nossas vidas.

Em Mateus, no capítulo vinte e cinco, do versículo quarenta e um ao quarenta e cinco, sobre o julgamento final, podemos ler:  “— Depois ele dirá aos que estiverem à sua esquerda: “Afastem-se de mim, vocês que estão debaixo da maldição de Deus! Vão para o fogo eterno, preparado para o Diabo e os seus anjos! Pois eu estava com fome, e vocês não me deram comida; estava com sede, e não me deram água. Era estrangeiro, e não me receberam na sua casa; estava sem roupa, e não me vestiram. Estava doente e na cadeia, e vocês não cuidaram de mim.” — Então eles perguntarão: “Senhor, quando foi que vimos o senhor com fome, ou com sede, ou como estrangeiro, ou sem roupa, ou doente, ou na cadeia e não o ajudamos?” — O Rei responderá: “Eu afirmo a vocês que isto é verdade: todas as vezes que vocês deixaram de ajudar uma destas pessoas mais humildes, foi a mim que deixaram de ajudar.”” (Mateus 25.41–45, NTLHE).

Termos o entendimento de que esta é a vontade de Deus, que são nestas ações que revelamos a Sua natureza e proclamamos  as Suas virtudes e que são nestas que amadurecemos e cumprimos o papel e propósito estabelecido por Ele para nós neste mundo, pois é através destas ações que revelamos a compaixão, uma das virtudes de Deus, que como filhos temos que manifestar no mundo.

Anúncios