Entre a religião e o evangelho de Cristo

Estarmos atentos, não deixarmos ser seduzidos pelos apelos da religião é extremamente importante para andarmos como filhos de Deus, revelarmos o Seu propósito e principalmente, vivermos o evangelho e não uma religião, como não andarmos pelos conceitos e ensinos de homens que revelam a natureza humana e não a espiritual, segundo o novo homem criado em Cristo Jesus.

Ensinando aos seus discípulos, em Mateus, no capítulo dezesseis, versículo seis:  “Jesus disse: Fiquem alertas e tomem cuidado com o fermento dos fariseus e dos saduceus.” (Mateus 16.6, NTLHE). Eles não entenderam, pensavam que falava de fermento de pão, então Jesus nos versículos onze e doze reforça: “Vocês não entendem que eu não estou falando a respeito de pães? Tenham cuidado com o fermento dos fariseus e dos saduceus! Então os discípulos entenderam que ele não estava dizendo que tivessem cuidado com o fermento usado no pão, mas com os ensinamentos dos fariseus e dos saduceus.” (Mateus 16.11–12, NTLHE).

Depois destas palavras, Jesus fala aos Seus discípulos sobre o reino, o que significa viver o evangelho que Ele estava pregando, como podemos ler do versículo vinte e quatro ao vinte e seis: “E Jesus disse aos discípulos: — Se alguém quer ser meu seguidor, esqueça os seus próprios interesses, esteja pronto para morrer como eu vou morrer e me acompanhe. Pois quem põe os seus próprios interesses em primeiro lugar nunca terá a vida verdadeira; mas quem esquece a si mesmo por minha causa terá a vida verdadeira. O que adianta alguém ganhar o mundo inteiro, mas perder a vida verdadeira? Pois não há nada que poderá pagar para ter de volta essa vida.” (Mateus 16.24–26, NTLHE).

Na religião aprendemos sobre aparências e regras, sobre hipocrisia, pois o que importa é o que mostramos e não o que somos, podemos ser extremamente religiosos em nossos atos, mas se não compreendermos que tudo que deve nos motivar é a obra que Deus realizou em nosso favor, a oferta de Jesus, para fazer de nós Seus filhos, não experimentaremos a verdadeira vida. Pois, assim como Cristo, devemos, oferecer a nós mesmos em favor dos outros para que conheçam o Deus verdadeiro.

Não podemos viver uma vida egoísta, pensando em nós somente e tentando salvar somente a nós. Nossa vida deve ser uma oferta em favor dos outros, para que em tudo que estivermos fazendo, estejamos focado em revelar o reino a todos, em todo o tempo e todo lugar.

Anúncios