Detestar o pecado

Devemos nos compadecer daqueles que estão na dúvida, ajuda-los em sua jornada, sermos instrumentos de edificação, resgatando-os da situação em que se encontram e conduzindo-os na jornada para o crescimento, amadurecimento e expressão da vontade de Deus. Quanto ao pecado, devemos detestá-lo, não podemos sucumbir e nem aceita-lo em nosso meio, pois a sua prática constante corrompe e destrói o processo de edificação e fortalecimento da Igreja e do Seu papel no mundo, como instrumento de equidade e justiça.