Revelar o filho em nós

foto por: Peter Grand em Unsplash

Temos e precisamos compreender que como Paulo, fomos retirados do mundo, removidos da escravidão do pecado para que Cristo fosse revelado em nós, pois fomos inseridos na família de Deus, somos membros do Corpo e expressamos isso quando vivemos expressando-O em nossas ações e nos nossos relacionamentos, glorificando o Pai.

Paulo, em sua carta aos Gálatas, capítulo um, do versículo quinze ao dezessete fala sobre isso: “Quando, porém, ao que me separou antes de eu nascer e me chamou pela sua graça, aprouve revelar seu Filho em mim, para que eu o pregasse entre os gentios, sem detença, não consultei carne e sangue, nem subi a Jerusalém para os que já eram apóstolos antes de mim, mas parti para as regiões da Arábia e voltei, outra vez, para Damasco.” (Gálatas 1.15–17, BEARA).

Qual a importância de compreendermos isso? Se compreendermos que o propósito do Pai, ao ter-nos feito à imagem do Filho, foi de revelá-Lo, sermos Sua expressão, instrumento e meio estabelecido por Ele para que manifestemos o reino neste mundo, então nos posicionamos de forma comprometida com o Pai e Sua vontade e seremos zelosos na busca do conhecimento dela.

Precisamos, como Paulo, sermos a oferta para que a vontade do Pai se cumpra e para que o Filho seja revelado em nós.

Introdução a carta

Reflexão

Anúncios