Remover tudo contrário a natureza de Deus

foto por: Natalie Chaney em Unsplash

Precisamos entender que fomos libertos do domínio do pecado, que não somos mais seus escravos, que não precisamos mais nos submeter e realizar obras que o revelam, pois fomos libertos para revelarmos Deus. Somos pedras do templo que Ele está construindo, para que nas ofertas que realizamos em favor das pessoas, possamos oferecer o verdadeiro sacrifício que agrada ao Pai.

Pedro escrevendo sobre isso, afirma no capítulo dois, do versículo um ao cinco:  “Despojando-vos, portanto, de toda maldade e dolo, de hipocrisias e invejas e de toda sorte de maledicências, desejai ardentemente, como crianças recém-nascidas, o genuíno leite espiritual, para que, por ele, vos seja dado crescimento para salvação, se é que já tendes a experiência de que o Senhor é bondoso. Chegando-vos para ele, a pedra que vive, rejeitada, sim, pelos homens, mas para com Deus eleita e preciosa, também vós mesmos, como pedras que vivem, sois edificados casa espiritual para serdes sacerdócio santo, a fim de oferecerdes sacrifícios espirituais agradáveis a Deus por intermédio de Jesus Cristo.” (1Pedro 2.1–5, BEARA).

O viver cristão, o andarmos neste mundo como Cristo, implica que devemos abandonar, deixar de fazer, remover de nossas vidas tudo que não traduza a natureza do Pai, pois somos a casa espiritual de nosso Deus, sacerdócio real, para proclamarmos as Suas virtudes entre as pessoas. Temos que entender que fomos libertos para vivermos como Cristo e não mais como escravos do pecado.

Anúncios