O que não estamos entendendo?

foto por: Jordi Ganduxe em Unsplash

Há um aspecto muito importante que precisamos entender e compreender quanto a vida cristã e que é fundamental, pois não se trata do que falamos, e sim, do que expressamos em atos. As obras que praticamos, isto é, a maneira como vivemos e nos relacionamos, revelam o quanto somos maduros e o quanto conhecemos o Senhor e compreendemos a Sua obra em nossas vidas.

Ao observarmos as palavras de Tiago em sua carta, capítulo dois, versículo um: “Meus irmãos, não tenhais a fé em nosso Senhor Jesus Cristo,Senhor da glória, em acepção de pessoas.” (Tiago 2.1, BEARA) . Pois se fazemos acepção de pessoas, não estamos entendendo a lei da liberdade, do amor e o mandamento do Senhor Jesus, como Ele fala nos versículos oito e nove: “Se vós, contudo, observais a lei régia segundo a Escritura: Amarás o teu próximo como a ti mesmo, fazeis bem; se, todavia, fazeis acepção de pessoas, cometeis pecado, sendo arguidos pela lei como transgressores.” (Tiago 2.8–9, BEARA). Não dá para obedecer toda a lei e tropeçar em um mandamento. Assim como falamos, assim devemos proceder, como está no versículo doze: “Falai de tal maneira e de tal maneira procedei como aqueles que hão de ser julgados pela lei da liberdade.” (Tiago 2.12, BEARA).

Na vida cristã, o andar com Deus é importante compreendermos que expressamos em obras o que cremos e compreendemos. Se conhecemos Cristo, nós O imitamos e revelamos nas coisas que fazemos, mas se não O expressamos, afirmamos que somos somente religiosos. Temos e precisamos nos comprometer com a vontade do Pai e  entendermos que fomos feitos à imagem de Cristo e que temos a Sua mente para andarmos neste mundo como Ele, praticando as Suas obras e não segundo a nossa vontade. Não se trata do que falamos, mas se entendemos quem somos Nele.

Anúncios