A autoridade de Cristo nos basta

foto por: Romain Rullaud em Unsplash

Nossa vida não se trata do que podemos fazer, do conhecimento que temos, dos talentos que desenvolvemos, mas do reconhecimento que dependemos inteiramente do Pai e da Sua vontade e que, os dons e talentos, são instrumentos para usarmos em favor das pessoas baseado na autoridade (poder) que recebemos Dele para vivermos neste mundo como Seus filhos, manifestando a Sua glória.

Paulo escreveu sobre depender do poder, da autoridade recebida, em sua segunda carta, capítulo doze, do versículo sete ao dez: “E, para que não me ensoberbecesse com a grandeza das revelações, foi-me posto um espinho na carne, mensageiro de Satanás, para me esbofetear, a fim de que não me exalte. Por causa disto, três vezes pedi ao Senhor que o afastasse de mim. Então, ele me disse: A minha graça te basta, porque o poder se aperfeiçoa na fraqueza. De boa vontade, pois, mais me gloriarei nas fraquezas, para que sobre mim repouse o poder de Cristo. Pelo que sinto prazer nas fraquezas, nas injúrias, nas necessidades, nas perseguições, nas angústias, por amor de Cristo. Porque, quando sou fraco, então, é que sou forte.” (2Coríntios 12.7–10, BEARA).

Temos que entender que não depende de nós, mas de compreendermos a obra de Deus em nosso favor e não se trata do conhecimento que nos concedeu, mas da consciência que dependemos inteiramente Dele para cumprirmos o nosso papel neste mundo, para sermos instrumentos de edificação da família de Deus, para podermos ser usados para a edificação do templo que Deus está construindo para que o Pai seja conhecido por meio das obras que realizamos.

Não precisamos de nada mais que a graça, derramada de forma abundante em nossas vidas pelo Espírito para que o poder de Deus se revele em nós e através de nós, conduzindo-nos em toda a vontade do Pai.

Anúncios