Uma situação constrangedora

foto por: Jason Leung em Unsplash

Quando olhamos pela perspectiva de hoje, talvez não consigamos enxergar a gravidade da ação de uma mulher que padecia de uma hemorragia há muitos anos,  mas para a sua época, as implicações eram sérias e no aspecto religioso, estava ela contrariando o que a lei afirmava. Ela tinha um fluxo sanguíneo há doze anos e por causa disto, qualquer coisa que tocasse se tornaria impura. Mas ela busca no Senhor a sua cura e libertação, não pensando na perspectiva da lei, mas da fé e da graça que ouvira falar.

Esta história está em Marcos, no capítulo cinco, versículos vinte e cinco ao vinte nove: “Aconteceu que certa mulher, que, havia doze anos, vinha sofrendo de uma hemorragia e muito padecera à mão de vários médicos, tendo despendido tudo quanto possuía, sem, contudo, nada aproveitar, antes, pelo contrário, indo a pior, tendo ouvido a fama de Jesus, vindo por trás dele, por entre a multidão, tocou-lhe a veste. Porque, dizia: Se eu apenas lhe tocar as vestes, ficarei curada. E logo se lhe estancou a hemorragia, e sentiu no corpo estar curada do seu flagelo.” (Marcos 5.25–29, BEARA). Jesus tendo percebido que Dele havia saído poder, se volta e questiona, ela acanhada e com medo do que fizera por causa da lei se entrega, então Ele afirma, no versículo trinta e quatro: “E ele lhe disse: Filha, a tua fé te salvou; vai-te em paz e fica livre do teu mal.” (Marcos 5.34, BEARA).

Um ato que contraria a lei, uma atitude que desafia o que estava prescrito, mas há  a libertação e cura. Precisamos entender e olhar as coisas sob a perspectiva da graça e do amor de Deus e não conforme a lei, pois não é o que está no mundo que pode nos contaminar, muito pelo contrário, nós somos os que santificam as pessoas e as conduzem ao conhecimento de Deus. Não se trata de sermos contaminados, mas de contaminarmos os outros com o que é santo e conduzí-los ao conhecimento de Deus, assim como Cristo fez com aquela mulher, trazendo-lhe uma nova perspectiva de vida.

Que possamos compreender que somos os responsáveis por santificar as pessoas para que possam se submeter ao Pai e à Sua vontade.

Anúncios