Somos de Cristo para frutificar para Deus

foto por: Daniil Kuželev em Unsplash

Vivermos o reino de Deus na terra não é uma opção, mas o entendimento que somos do Senhor, que fomos comprados por preço, que somos peregrinos neste mundo e que nossa função é vivermos a Sua justiça, revelando-O ao mundo, sendo expressão de Cristo, servos da justiça e que fomos criados Nele para as boas obras.

Precisamos ter, como Paulo fala na carta aos Romanos, o entendimento que morremos para  a lei para vivermos para Cristo, frutificando para Deus, como está no capítulo sete, do versículo quatro ao seis: “Assim, meus irmãos, também vós morrestes relativamente à lei, por meio do corpo de Cristo, para pertencerdes a outro, a saber, aquele que ressuscitou dentre os mortos, a fim de que frutifiquemos para Deus. Porque, quando vivíamos segundo a carne, as paixões pecaminosas postas em realce pela lei operavam em nossos membros, a fim de frutificarem para a morte. Agora, porém, libertados da lei, estamos mortos para aquilo a que estávamos sujeitos, de modo que servimos em novidade de espírito e não na caducidade da letra.” (Romanos 7.4–6, BEARA).

Fomos libertos da lei do pecado que dominava os nossos membros, agora livres podemos oferecê-los à justiça, como Cristo nos deixou o exemplo, pois vivendo no corpo como nós, não se sujeitou as obras da natureza humana, mas como filho, foi fiel à vontade do Pai. Assim como Ele, fomos capacitados para vivermos neste mundo, revelando o Pai e a Sua justiça a todos.

Precisamos entender que na nossa jornada de amadurecimento e crescimento espiritual, somos livres, para fazermos as obras que glorificam o Senhor, que exaltam o Seu nome, que O santifica e glorifica.

Que possamos entender este aspecto de nossas vidas e entendermos que como Cristo, devemos ser a oferta, não só para que conheçam o Pai, mas que aprendam a viver segundo a Sua vontade.

Anúncios