Sucumbindo a vontade do Pai

foto por: Dominik Kiss em Unsplash

Precisamos compreender as promessas e a vontade do Pai expressa nas Escrituras que falam do Seu plano e propósito para nossas vidas e como devemos ser neste mundo. Ao entendermos o nosso papel e Sua obra em nosso favor, devemos nos submeter a essa vontade, mesmo que tenhamos o poder para fazer diferente.

Jesus, no Getsemani, quando foi entregue por Judas, poderia ter convocado uma legião de anjos, mas submete à vontade do Pai.

Um dos discípulos tendo sacado da espada é repreendido e traz um entendimento maior sobre o que estava acontecendo. Podemos ler sobre este momento em Mateus, capítulo vinte e seis, versículos cinquenta e um e cinquenta e dois: “E eis que um dos que estavam com Jesus, estendendo a mão, sacou da espada e, golpeando o servo do sumo sacerdote, cortou-lhe a orelha. Então, Jesus lhe disse: Embainha a tua espada; pois todos os que lançam mão da espada à espada perecerão.” (Mateus 26.51–52, BEARA). E então, nos versículos cinquenta e três e cinquenta e quatro, afirma: “Acaso, pensas que não posso rogar a meu Pai, e ele me mandaria neste momento mais de doze legiões de anjos? Como, pois, se cumpririam as Escrituras, segundo as quais assim deve suceder?” (Mateus 26.53–54, BEARA). E no cinquenta e seis, podemos ler: “Tudo isto, porém, aconteceu para que se cumprissem as Escrituras dos profetas. Então, os discípulos todos, deixando-o, fugiram.” (Mateus 26.56, BEARA).

Temos que entender que o reino de Deus nem sempre se trata da manifestação de poder para realizarmos a nossa vontade, mas mesmo compreendendo que podendo agir diferente, somos capazes, por causa da obra de Cristo em nosso favor, de nos submetermos como Ele à vontade do Pai e fazermos das nossas vidas a verdadeira oferta de justiça em favor das pessoas.

Viver o Reino não se trata de manifestar poder em nosso favor, embora possamos usá-lo em favor dos outros, mas de entendermos que somos a verdadeira oferta em favor das pessoas, como Cristo, para que  o Pai possa ser conhecido, sermos a luz que revela a glória do Pai e a maneira de fazer a Sua graça conhecida.

Anúncios