Falsos profetas e o amor esfriar

falos profetas e o amor esfriar

foto por: Libe Walls em Unsplash

Nos finais dos tempos, Jesus disse que apareceriam falsos profetas e que o amor iria se esfriar por causa da iniquidade. Precisamos entender o que seja um profeta e o significado de amor, para não cairmos no engano, pois falsas profecias não são mentiras, mas verdades com uma pequena parcela de mentira e amor não é sentimento, mas atitude em favor do próximo, como  Cristo fez.

Jesus falou com relação a isso em Mateus, capítulo vinte e quatro, do versículo nove ao treze: “Então, sereis atribulados, e vos matarão. Sereis odiados de todas as nações, por causa do meu nome. Nesse tempo, muitos hão de se escandalizar, trair e odiar uns aos outros; levantar-se-ão muitos falsos profetas e enganarão a muitos. E, por se multiplicar a iniqüidade, o amor se esfriará de quase todos. Aquele, porém, que perseverar até o fim, esse será salvo.” (Mateus 24.9–13, BEARA).

O profeta traz a revelação e o entendimento sobre o que Deus está falando, não está relacionado a previsão do futuro, mas fala do que seja a vontade do Criador e Seu plano para os homens, criado desde antes da fundação do mundo. E amor, segundo a perspectiva de Deus não é sentimento favorável em favor do outro pelo que ele pode fazer por mim e o quanto pode atender às minhas necessidades, mas é ação que impetro quando compreendo que a minha vida deve e tem que ser uma oferta em favor do outro para que conheçam o Pai, assim como Cristo fez em nosso favor, morrendo para que pudéssemos conhecer da vontade Daquele que nos tirou das trevas.

Temos buscado o “deus” do nosso ventre, focado nos nossos interesses, nossa vontade, sido egoístas e a única religião que nos interessa está ligada a satisfação dos nossos desejos e vontades, mesmo que chamemos o nosso ventre de nosso “deus” e por causa desta atitude egoísta, o nosso amor tem se traduzido muito no “gostar muito”, pois enquanto estiver atendendo aos nossos interesses e nos servindo, então nos interessa, caso contrário colocamos de lado.

Somos sinceros o suficiente, segundo a perspectiva de Deus, para julgarmos pela mente de Cristo ou temos embotado o nosso entendimento, enganado a nós mesmos, com meias verdades, achando que Deus se agrada do que estamos fazendo? Precisamos rever nossas atitudes e ações e quanto estamos buscando os nossos interesses ou a vontade Dele.

Anúncios