Não se trata de tradição e regras

foto por: Jordan Andrews em Unsplash

A vida cristã não se trata de dogmas e nem de tradição, mas de compreensão da vontade de Deus e sermos instrumentos, como foi Cristo, da Sua expressão e revelação ao mundo. Assim como Ele, fomos incumbidos de revelar a graça e tornar o nosso Deus e Pai visível às pessoas, para que o Reino seja visto na terra.

Em certa ocasião, os fariseus diante de Jesus, questionou porque os discípulos não guardavam a tradição. Isto está em Mateus, capítulo quinze, versículos um e dois: “Então, vieram de Jerusalém a Jesus alguns fariseus e escribas e perguntaram: Por que transgridem os teus discípulos a tradição dos anciãos? Pois não lavam as mãos, quando comem.” (Mateus 15.1–2, BEARA). E Jesus respondendo a eles, faz outra pergunta, que está no versículo três: “Ele, porém, lhes respondeu: Por que transgredis vós também o mandamento de Deus, por causa da vossa tradição?” (Mateus 15.3, BEARA). E nos versículos sete e oito, Ele afirma:  “Hipócritas! Bem profetizou Isaías a vosso respeito, dizendo: Este povo honra-me com os lábios, mas o seu coração está longe de mim. E em vão me adoram, ensinando doutrinas que são preceitos de homens.” (Mateus 15.7–9, BEARA).

O Reino não se trata de tradição, mas de expressão das virtudes de Deus, do revelar da graça, da misericórdia, compaixão, do amar as pessoas como Cristo, fazendo da própria vida uma oferta para que possam conhecer o Pai e a Sua vontade. Não estamos aqui para formar religiosos e nem ensinar doutrinas, mas para sermos expressão do Pai no mundo, a manifestação visível do Deus invisível, a materialização da Sua graça a todas as pessoas, merecedoras ou não, pois assim como foi Cristo, precisamos ser neste mundo.

Que possamos nos ofertar, ensinar outros a viverem da mesma maneira e assim, estes amadurecendo, possam ensinar outros e mais outros.

Anúncios