A motivação pelo fazer

foto por: Glenn Carstens-Peters em Unsplash

Não fazemos as coisas e nem podemos com o intuito de sermos vistos pelas pessoas, mas, por estarmos alinhados com a vontade de Deus. A motivação tem que estar focada no cumprir a vontade do Pai e não ser motivo para o nosso reconhecimento diante das pessoas

Jesus instruindo no sermão da montanha, em Mateus, capítulo seis, versículo um fala sobre isso, quanto a exercer justiça: “Guardai-vos de exercer a vossa justiça diante dos homens, com o fim de serdes vistos por eles;…” (Mateus 6.1, BEARA). E quanto a oração, Ele também fala a mesma coisa, como está no versículo cinco: “E, quando orardes, não sereis como os hipócritas; porque gostam de orar em pé nas sinagogas e nos cantos das praças, para serem vistos dos homens….” (Mateus 6.5, BEARA). E Ele fala da maneira como devemos jejuar, nos versículos dezessete e dezoito:  “Tu, porém, quando jejuares, unge a cabeça e lava o rosto, com o fim de não parecer aos homens que jejuas, …” (Mateus 6.17–18, BEARA).Não fazemos as coisas e nem podemos com o intuito de sermos vistos pelas pessoas, mas, por estarmos alinhados com a vontade de Deus. A motivação tem que estar focada no cumprir a vontade do Pai e não ser motivo para o nosso reconhecimento diante das pessoas.

Temos que entender que tudo que fazemos, não só essas coisas, devemos fazer para o Senhor, pois compreendemos que tudo que fizermos, deve ser uma oferta a Ele e não para o nosso reconhecimento ou engrandecimento, pois todas as obras de justiça que praticarmos devem e têm que servir para trazer glória ao nome do Pai e não a nós. Precisamos nos ver como oferta de Deus em favor das pessoas para que possam conhecê-Lo. Não estamos aqui para sermos religiosos, mas sacrifício em favor dos outros.

Anúncios