A ceia, uma oferta!

jaco-pretorius-514735

foto por: Jaco Pretorius em Unsplash

Estamos tão equivocados em nossa religiosidade que não compreendemos o significado da ceia que celebramos e que foi deixada como um sacramento para nós. Quando a celebramos, pensamos mais na possibilidade de recebermos e sermos abençoados do que um momento para nos lembrarmos que se trata de uma oferta, um sacrifício em favor de quem não merece.

E mais, fazermos deste momento uma oferta, Jesus fez com alegria e desejando ardentemente por este momento como está em Lucas, capítulo vinte e dois, versículos quinze e dezesseis: “E disse-lhes: Tenho desejado ansiosamente comer convosco esta Páscoa, antes do meu sofrimento. Pois vos digo que nunca mais a comerei, até que ela se cumpra no reino de Deus.” (Lucas 22.15–16, BEARA).

E na ceia, não celebramos o que podemos receber e nem se trata de poder nos sustentar, mas da compreensão que é uma oferta em favor do outro, como Cristo fez, como está nos versículos dezenove e vinte: “E, tomando um pão, tendo dado graças, o partiu e lhes deu, dizendo: Isto é o meu corpo oferecido por vós; fazei isto em memória de mim. Semelhantemente, depois de cear, tomou o cálice, dizendo: Este é o cálice da nova aliança no meu sangue derramado em favor de vós.” (Lucas 22.19–20, BEARA).

A ceia é para nos lembrar que temos que ser imitadores de Cristo e como Ele, devemos fazer da nossa vida uma oferta e repartir com todos, merecedores ou não, justos ou não. Assim como Judas que o traiu, e os demais que o abandonaram, precisamos nos ofertar em favor das pessoas, para O conheçam. Não se trata de ofertar para quem merece, mas, para aqueles que são ignorantes quanto a vontade do Pai e não são merecedores, como nós, de qualquer ato de misericórdia e graça.

Precisamos entender que nós, como família, como o povo de Deus e Corpo de Cristo, somos responsáveis por revelar o Pai, faze-Lo visível por meio das obras que praticamos e que a razão da sua existência é para ser uma oferta em favor do mundo.

 

Anúncios