Chamados a liberdade, não à libertinagem

pana-vasquez-449639 - 500x250

foto por: Pana Vasquez em Unsplash

Que possamos compreender a liberdade que temos em Cristo Jesus, entender o que significa amar e servir uns aos outros, para que não sejamos dominados pela libertinagem e para não nos sujeitarmos à natureza humana e assim, praticarmos o mal contra os outros, contra aqueles que fazem parte do corpo e que são da família de Deus.

Precisamos entender que o nosso papel é servir, é conduzir, é ajudar uns aos outros no processo de amadurecimento e expressão da vontade de Deus, em ser um instrumento útil para o Seu Reino.

Paulo escrevendo aos Gálatas quanto a liberdade que temos em Cristo Jesus e o papel desta, no capítulo cinco, do versículo treze ao quinze, diz: “Porém vocês, irmãos, foram chamados para serem livres. Mas não deixem que essa liberdade se torne uma desculpa para permitir que a natureza humana domine vocês. Pelo contrário, que o amor faça com que vocês sirvam uns aos outros. Pois a lei inteira se resume em um mandamento só: “Ame os outros como você ama a você mesmo.” Mas, se vocês agem como animais selvagens, ferindo e prejudicando uns aos outros, então cuidado para não acabarem se matando!” (Gálatas 5.13–15, NTLHE).

Fomos chamados à liberdade, somos livres, fomos libertos da natureza humana, portanto não podemos viver usando desta liberdade para dar ocasião ao pensamento natural. Somos responsáveis pelas vidas uns dos outros e devemos, como Cristo, fazer da nossa vida uma oferta em favor do outro para que possa conhecer o Pai e viver a Sua vontade neste mundo, sendo Seu instrumento e não do Diabo.

Anúncios